terça-feira, 6 de abril de 2010

Μορφεύς

Desci correndo pelos canais de uma rua torta,
Tudo o que eu queria era ver o dia raiar.
Tanto pé pra pouco chão, vai pedra, vai pedra...
Vem pedra, poste, placa, pedra, poste e placa
A areia me diz onde parar.
Desci correndo pelos raios de um raiar de sol torto,
e me escondi lá no fundo do horizonte,
Lá onde o calor é maior que tudo
Já não existe distância, Pour la Route
Le soleil inonde mien être...
Todos os meus pelos arrepiam,
Meus olhos nunca extraviam
do carnaval que não tem mais tento
Olho pra cima mudo e lento,
Perpetuo uma poesia
Dentro de um segundo ou um dia
Só pra ver você sorrir
E meu sol raiar denovo
Lá no horizonte que eu persigo
Onde ainda há fogo em mim...

Um comentário:

Fernando L disse...

Lido e apreendido

parabéns o/