segunda-feira, 12 de abril de 2010

Onde o pensamento faz a curva

Ser vento que risca distância
Faz curva onde ninguém sabe
Sopra as folhas do jardim
Carrega poesia que arde
Refresca a boca carmim
Toca o meu seio da face
Tira a falta de mim.

Aquela falta que não se sabe
Se é do tudo ou do nada
Dentro de uma madrugada...

2 comentários:

aperitivopoético disse...

vc devia tentar musicar suas poesias, são muito melódicas e cheias de ritmo...


Beijocas poeta =*

Fernando L disse...

Prefiro como está, hehe, não precisam de mais nada para melhorar

Tem postado bastante hein? Os leitores agradecem =]

Abraços