quarta-feira, 14 de abril de 2010

O cheiro do amanhã

À janela ela sente
o cheiro de café e broa
minha mente sempre povoa
meu olfato com poesia

E do sofá eu vejo
a silhueta fina
por entre véus de fumaça
a manhã me fascina

dona do meu tempo
Tempo e sentir

Um comentário:

Be Lins disse...

O dia seguinte inaugura a cada amanhecer, o mais precioso dos tempos, o HOJE.

Beijo.