segunda-feira, 26 de abril de 2010

Só dela

olhos que não cansam de ver no escuro o que some
no silêncio de uma madrugada calada
enquanto em mim gritam todos os sentidos,
sou sozinho uma sinfonia em teu nome

Nenhum comentário: