domingo, 16 de maio de 2010

Sopro

no dia em que ouvi
um sopro Zéfiro dizer
tinha transformado em vento
e luz que cobre campos
tremi de frio e medo
e sussurrei um segredo
veloz e alado chega
no alto do céu e despeja
que nesse dia eu fiz
o que nunca fizera
e sorri
abri as portas e janelas
pra você entrar
só você

Um comentário:

Be Lins disse...

o som da chegada,
da espera que acaba,
calor de casa iluminada

dentro do secreto sagrado
AMOR.

Lindo.