terça-feira, 4 de maio de 2010

Topo do mundo

enquanto o céu separa os limites
da compreensão e do querer bem
alcanço a montanha e o cume
visto gotas de seu perfume
deito no alto mais alto que vejo
despido do mundo
mergulho bem fundo
onde não há saída
sublimo desejo

Um comentário:

Laís Bratfisch disse...

Poesia é saber enxergar o que não existe-que existe.
Gostei de novo!
E acho que assim será a cada post novo. Um encanto :)
Que continue mergulhando bem fundo... que não exista saída no mundo...