terça-feira, 1 de junho de 2010

Nau do meio caminho

invade caminhos
abrindo espaço
nudez e entrelaço
partem cristais
e taças delicadas
invasão de estradas
batendo na porta
do meu pensamento
morada dos olhos
chão do falar
descanso da alma
uma cama torta
acalento e calma

Um comentário:

aperitivopoético disse...

seus versos são a minha nau.

beijos poeta!