sexta-feira, 4 de junho de 2010

retoque

no encontrado sopro
um calado vento
dois sentados corpos
um teto sereno
calmaria dos mares
acalmaria a boca
sentido meu norte
ponteiros virados
em cordas musicais
olhos calados
blues sentirei
soul escutei
o jazz que farei
de hoje em diante
quebra o passado
em estilhaços de mim
recolhi e montei
em moldura distante
um mosaico enfim
Não
ele não tem fim
sua parte em mim
e aquele frio na barriga que não some

Nenhum comentário: