quinta-feira, 9 de setembro de 2010

um peso e o dormir

maleável ao toque
pensamento de ferro
dobrável à mesa
um chá de canela
incensa o olfato
recobre a pele e arrepia,
lençóis
de chumbo
não voam.
entre cama e teto
travesseiro e repouso
respiro
não vive

2 comentários:

aperitivopoético disse...

que a inspiração jamais te falte, adoro o que você escreve.

Beijos daborado poeta!

Lu disse...

oie.. q lindo texto.. legal aki.. adorei! bjo da luh! otimo fds!