sábado, 29 de janeiro de 2011

tuas cores

O amargo da boca se confunde com a madrugada se escondendo atrás de mim, fugindo pelo céu que clareia e trás muitas cores fracas. Desmancho no sofá. Busco no teu sono alguma distração, a mente perturbada custa à aquiescer, finalmente me pego perdido em seus cabelos bagunçados. Se tudo no mundo se resumisse em cabelos bagunçados pela manhã. Passam minutos como uma sentença de vida, esvaindo, trazendo lucidez, perseguindo os espaços vazios e violando lacunas de mim. A vontade de te roubar do mundo e te devolver cheia de pedaços meus, uma colcha de retalhos costurada num céu que só brilha em nossos olhos. É, esse céu que só toma forma quando nos cobre, o resto do mundo inexiste, ignoto. O contraste do amargo com seus doces beijos me tiram a razão por um instante, você ainda dorme, tudo são lembranças do dia que passa em minha frente, lembranças do que ainda vai acontecer quando acordar. Escorrego mais um pouco. Quem sabe não existe mais um amanhã, ou tudo é só aquele vinho que dividi contigo antes dos amores.

http://www.youtube.com/watch?v=3LjnCcj72U0&feature=player_embedded

2 comentários:

lidianemotha disse...

É culpa da moira!
que sempre me trás aqui!

Vocé é muito bom com as palavras,muito mesmo!
adoro as dimensões que elas ganham em seus textos!
ah!e deu pra se perder em suas cores!

Apenas Tici... disse...

Nossa... Não conhecia esse blog!
Você escreve bem demais, adorei cada palavra e confesso que me identifiquei completamente com o texto.

Parabéns pelo blog.

Beijinhos