domingo, 9 de janeiro de 2011

un, deux.

composição de valsa mansa
dançando pelas horas da manhã
furtivo olhar
contido toque
vê-la dançar por entre espaços do dormir
batidas fracas de ponteiro de relógio
toques de pele que o lençol alcança

Um comentário:

Be Lins disse...

Sabe,
dá uma certa esperança saber
que homens ainda são capazes de poesia, rimas e valsas, visões encantadas versando o amor bem longe do lugar comum em que o colocamos, Admiro você.

LINDO.

Feliz 2011!