quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

jardim

lá pelas tantas
meio de noite ou quase nada
bate um sambinha
teu dormir que me desperta
dançando enquanto caminho
me espalho nos teus passos
semi-tons de música certa
movimento com a mão
um samba que me bate
entre quantas e tantas
pudessem ver
teu sorriso de florir
lençóis de cama
e só assim
já não acordo

Nenhum comentário: