terça-feira, 8 de março de 2011

quero ver o céu cair
em trovoada batida ao chão
arranca pedaços de horizonte
varal estendido azul
subindo em cor, som nascente
pensamento meu e sol poente
entre tambor que grita seu nome
no ritmo maracatu
e explosão na superfície e alfaia
pra levar notícia do amor
que nasce na beira da praia
e carrega o mundo pro seu lado
ouvindo frevo lá no planalto
sugere lembranças
ainda há de levar
pra ver o céu cair
cobertor de sono
nosso e tranqüilo
jardim de flores pequenas e cheirosas
decorando do meu lado
seu trono

Um comentário: