sexta-feira, 27 de maio de 2011

smooth waltz

retumba o céu que há dentro de mim
não chove.
minha terra, seca, retorque
e racha na espera de sempre
molhar sem motivo
quiçá mar altivo
decorar meu mundo
com praias e valsas


teu nome na concha,
chuvisca oceano,
eco e meu sorrir.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

brisa

brinco solto vestido de vento
enquanto aliso
tua pele só repousa
e eu aliso
teus poros que já foram meus.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

wind chimes

pela última vez
passa o sol pela janela
tão grande e digna de lembrar
tão capaz de mostrar e esconder
enquanto me apago
um tanto de apego
às coisas de ver.
corre o dia que esquiva
do meu corpo.
pela última vez me sento
não acompanho tanto movimento
tão comum às coisas no jardim
que a janela mostra, tão cansada
de dentro dela,
tudo em mim.

domingo, 8 de maio de 2011

o silêncio é luxo

Tremem pesadas as arestas de mim
mesmo eu, que sempre fui aluado
percebi que nunca fui assim
de amar baixinho, este amor calado
mas que ainda
é
amor.