terça-feira, 28 de junho de 2011

Autumn Heart

todo filme que passa,

toda hora que corre

só a doçura me cura

da falta das coisas

que faltam no jardim da porcelana

pintada em minha parede

em minha pele.

todo dia que foge,

tudo em mim que engole

em seco

os caminhos que meus pés seguiram.

equivoco nos passos e nos olhares

a natureza das coisas gorjeia em mim palavras e sotaques,

são suas as asas que batem no céu,

não de pássaros,

tão minhas.

já nem reparo

eu que tanto já quis,

como só eu quis,

ser seu, amor.

2 comentários:

Be Lins disse...

A recíproca das palavras:
"não há como não ser tocada por suas palavras",

admiro-te!

Grande beijo,
Be

Flor Baez disse...

:) Suave!