domingo, 19 de junho de 2011

sobre tambores e terra

quebra céu no buxo
estufado de tanta vontade.
grita alto, ribomba retorqui
sobre tambores e terra
treme o mundo sem o toque
do amor que já não sentia
liquefeito na chuva grossa
nem da nuvem ele veria
esconderijo pra toda dor
onde sentido ele ficou
sentado molhado de amor
que pinga do buxo do céu
extasiado de tanta saudade
do tempo que não volta mais
e as gotas que não matam sede
tao cheias de barulho
tao vazias no silencio.
Ou era só uma chuva?

Nenhum comentário: