sexta-feira, 21 de outubro de 2011

nossos

pra que todo dia fosse bom

sem que houvesse qualquer resquício

de esquecimento

pra que tudo fosse chá e banhos

e em mim houvesse esperança

de teus cabelos no lençol

tuas tintas

cintas...meias bagunçadas,

pois só quando tropeço em suas roupas

sei que já não sinto frio.

perder o juízo

te beijar sem aviso. te querer,

e que me queira de volta

como se quer que o tempo volte

que já não passe

nunca mais passe

o corpo, um precipício

tudo em princípio

sem qualquer final.

2 comentários:

Be Lins disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Patrícia disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.