quarta-feira, 30 de novembro de 2011

completude

salva
tudo o que conseguir
e se mesmo assim
eu me sentir metade
ou dois terços
deixa
já não há o que salvar
pega tudo o que não presta
e o que resta
atira com vontade pela janela
bem aqui do alto
onde não existo
de onde não resisto ao salto
e o voo seja pleno
inteiro

http://www.youtube.com/watch?v=XerlSEj_D7Y

Um comentário:

Patrícia disse...

Tem que ser de corpo inteiro!