sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

laço

e no teu colo
deitarei
pelo sentido
pela potência
do nome que carrego
e do seu sangue
que em mim corre
fazendo voar
ninho adentro
vida afora

Um comentário:

tuyo disse...

"Gentileza gera gentileza."

Antes fosse simples assim. Não que eu não seja gentil com quem me é gentil também.
Mas gosto de ser gentil com quem mereça(porque não?), razão pela qual cá estou a me infiltrar, tal qual camundongo em casa grande...

Vira e mexe venho cá espiar teus sopros de poesia, porque muito bem me fazem, mas raramente(ou quase nunca) expresso meu agrado.

Mas eis que você comenta, no meu canto empoeirado, do teu contentamento ao ler meus versos de fome, e encabulado que fico acho inevitável não vir cá retribuir e dizer que muito me agrada "revisitar a mente" e dar de cara com o coração.

um grande abraço