terça-feira, 20 de dezembro de 2011

trinca

isto não é
verdade.
no firmamento despartido
chovem finas
gotas
de caimento descoberto,
Este que olho, fixo,
fixamente olho e não desgrudo
de mim
não é um espelho
nem caco
perde-se a translucidez
cheia de falhas
dessimetrias
de meu rosto,
ele no meu rosto
se rega da chuva
se nega;
verdade
não é isto
de ver perfeitamente
vaidade
não é isto
descaber em si mesmo
sem espelhos
se partículas do meu reflexo
ainda brilham

2 comentários:

Be Lins disse...

Pode se ver,
mesmo que através de um perto distante, que suas partículas de existência brilham,
e nunca haverão de deixar de brilhar.

Alguma coisa de feliz sempre há!

Um beijo
que sempre segue,
ou está.

Be Lins disse...

... então sua noite foi muito especial:
contar estrelas no seu próprio quintal, ouvindo música boa e desfrutando da sua companhia:
acredite, você está tendo uma noite feliz.

Vou olhar o céu agora e vou contar três estrelas:
uma delas será pra você.

Boa Noite!