terça-feira, 3 de janeiro de 2012

ano novo

e o sorriso sol
iluminou a noite
por tanto tempo
tanto tempo
pouco fez diferença a vela
que queimava, pequenina,
prestativa na intenção
de acender
rostos
para outros rostos.
queima ainda tua pele
tuas unhas douradas
camufladas em minha pele
de muitos sóis
e muito sal,
contra todo mal
busquei em teu abraço
meu pedaço de mar
agradeci a Iemanjá
no meio da madrugada
atrapalhando seu sono
mas a bênção encontrada
vale qualquer castigo.
essa não será uma boa poesia
cheia de musica,
será uma confissão.
será o que eu quiser que seja
enquanto espero tudo o que quero
e o que será
de nós dois.

Um comentário:

tuyo disse...

Que assim seja!