sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

carnaval

bate no peito
um vento
sem tento
e na rua água que lava
cai do céu toda abençoada
pra me tirar da calçada
jogar contra multidão
fazer multidão
sou eu só
uma multidão
em pernambuco sob meus pés
mas muito mais dentro do peito
e lá bate dentro
fora
que a Olinda em meus olhos
é muito mais
que a de meus sonhos

Nenhum comentário: