segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

circo

será quase outono
quando voltar.
justo quando o céu é mais azul
e piso sem sentir
o que já foi verde
vivo
enquanto fui verde
vivo
do que já fui crente
no contraste horizontal
que só se vê no outono
vai voltar
corrompida
pra animar minha vida
feito circo andante
de roda-gigante iluminada
pra destacar na noite
que gira
por cima e por baixo de mim
e no outono quando o céu é mais bonito
até quando prendo a respiração
sinto seu cheiro de maçã-do-amor
meu olhar nela vindo de longe
em pleno outono
animar minha vida
de longe
vindo feito circo
cheia de cor
cor rompida
de cor
em cor
de coração silencioso.

Um comentário:

tuyo disse...

E cá estamos: vivendo com cores rompidas e corações silenciosos, nascendo e morrendo na roda-gigante (samsara) da vida...