terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

distante

é na cama
que não descanso
encontro no escuro
fagulhas e distrações
rasuras e más canções
entregues pelo ar
aos ouvidos
que os seus ruídos
já não escuto,
sua voz
já não escuto,
já nem me lembro
de te querer
então falo alto
pra levar longe
o silêncio
sua falta
então eu minto
pra levar longe
sua falta
e meus fantasmas
então eu deito
e não descanso
na sua ausência
me levo longe
e só bem longe
sei ouvir
e sentir
distância

(para Tuyu, um grande amigo)

Um comentário:

tuyo disse...

Há distâncias, assim como males, que vem para bem...

E pouco tenho a dizer que possa acrescentar aos múltiplos sentidos e sentimentos de suas palavras, que não seja me sentir lisonjeado de poder ter esses versos e ser teu grande amigo, grande amigo!