quinta-feira, 29 de março de 2012

reflexo

pensa;
vazio das coisas
visíveis
o céu continua lindo
imenso, macio de nuvens,
cheio de sol.

conclui então que a fórmula mágica
e instantânea seria a falta
das coisas de ver
ouvir
sentir
essencialmente a falta,
talvez de ar.

sabe;
falta amor nos muros
parques, bancos e sorvetes
lá no interior
(de nós, do país)
onde é serra
tanto faz mar
falta amor
nas palavras
indiscutivelmente
nas palavras.

cuida
dos passos que teus sapatos dão;
falta amor na sola
pisada,
lembra:
o chão tem o poder
de poder ficar pra trás
sem ser amado
sem ser julgado
pelo equilíbrio de tuas pernas,
virar passado
desesquecido
sem nunca ter feito
tropeçar

Um comentário:

tuyo disse...

"e nos tropeços, torpes de amores pisados grudados nas solas dos nossos sapatos, espalhamos amor por onde passamos, manchamos telas, telhados e muros... fazemos da pele o local de sentir as palavras..."