segunda-feira, 21 de maio de 2012

falta ar à boca
aberta, quase grito
da miudeza ao infinito
falta ar

copo meio vazio
meio cheio
dentes separam a fala e a língua
repara:
duas bocas se encontram
pra dizer no tato
o que a audição não ouviria
sem cobrir de sangue
o meio interno das faces
rubricas de doação
assinadas por saliva
e alívio




p.s.
(queria poder tirar de ti qualquer aflição)

Nenhum comentário: