sábado, 9 de junho de 2012

reza

porque disseram que eu não sei falar de Deus
eu abri a boca imensa e cheia de jardim
pires, cristaleiras e oceano
meu velho forte de travesseiros de quando era criança
a bronca do meu pai que ainda me dói
as areias do quintal
flores do meu beiral
pedaços de amores em carta
pedaços de carta em gaveta,
e o frio que os pés sentem quando pisam ladrilhos de manhã
e me calei.

prestenção, eu me calei,
mas só pra ouvir da noite e das horas que passam
silenciosas
tudo que eu queria saber dizer

Um comentário:

Ellen Joyce disse...

“Com as palavras se podem multiplicar os silêncios”