sexta-feira, 6 de julho de 2012

Compotas e Baunilha

"Nas brisas vem sempre um silêncio de garças.
Mais alto que o escuro é o rumor dos peixes."
Manoel de Barros


no silêncio que o campo faz
quando vê o bater das asas
de tarde
pra baterem novamente por ele dentro
só de manhãzinha
fico escondido
brincando de pensando
na falta que faz caneca no café
falta das coisas que são coisas
que sempre foram, sem retorquir
nas embrumadas flores
baunilhas e amarelo-ouro
descasco as bananas maduras
e conscientes de sua pequidão
lembro das lacunas de horas
que o sono rouba
e a falta que elas nunca fizeram
sinto falta das cores
e do café quente amanhecido

Nenhum comentário: