quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

"botei na peneira
e você não passou"
você não passou
não passou
nem sou, eu, peneira
nem há de passar.
passo por ti, olhos de vidro
e te debates, escorregadia, líqüida;
minhas redes incapazes
são minhas, mas o rio te leva;
você não passou.
estuário infértil
criadouro das mais dores
que o tempo persiste
em guardar
por força bruta, minha vigília


(exercício de criação literária)

Nenhum comentário: