domingo, 6 de janeiro de 2013

dorminhoco

meio-livros cheios de receitas
bolo-pudins, flores no lençol
e as peles negras em Zanzibar;
seus Xelins.
cá na Bahia, tudo bem,
gengibre forte e chá branco antes de dormir
um corpo-templo grego ou chinês
cidade baixa
três câmeras e poucas fotos
fitinhas pro Senhor do Bonfim
me amar um pouquinho
e pensar na vida.
colares, saudade de Pernambuco
de quem vive lá, quem não há em mim
"tudo é mesmo muito grande assim
porque Deus quer"
o sol-pôr da preguiça
o por sal no mar menino
tuas caveiras e Orixás
nossa alfazema e músculos oblíquos antes de sair
ambiguidade de bocas
e hortelã

Um comentário:

Saulo Moreira disse...

Eu gosto muito do título dorminhoco.
você tá místico!