sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

largo dois corações, número 16, apartamento 701

ser perfeito
até o primeiro defeito
e de resto
resta viver assim
fora de dentro
sambando no centro
enquanto todas as mesas ao redor observam
a noite não passa, meio bêbado
o celular que não toca, os flyers no chão
o tablado
um samba assim drogado,
perdido, sem som
plantando bananeira pra não pisar
os sapatos novos
que me apertam, querem tanto me calejar
são tão lindos, brilhantes
perfeitos
até meu primeiro defeito:
não me canso de sambar,
mas como dói...

Nenhum comentário: