sábado, 2 de março de 2013

salvo

eu estava pronto
pra viver alcoolizado,
em outro continente,
assim, meio descontente
sim e não do seu lado,

ou o que era o lado?
oposto do bom gosto
perfeito senso estético
fraqueza de espirito
espelho sem rosto
desbrilho enfeitado
caveiras
vaidade da alma
que não cabe na palma
da mão que eu perdi.

faz dias que é assim mesmo,
más impressões e café frio
tem em toda mesa.

ainda bebo, entenda,
ou não entenda, tanto faz,
fico assim meio blasée
quando é tarde
pra qualquer
reação;
é, e eu perdi a mão,
descansei de segurar garrafas,
joguei as roupas fora,
a pintura de Calazans
rezei pra muito Orixá,
o amor
virá
a foguete.

Nenhum comentário: