quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

deriva

sentir-se só:
misto de barco solto,
no coração,
na garganta,
bem feito nó
navegante.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

sobre suas praias

tento 
com todos os dedos 
em máxima extensão
convulsivos sobremesa
entre garfos e água de coco
tocar 
o coração
dela

mas tá tudo aqui dentro.
sorri sem graça, ela nem viu
quanto eu pensei e quis e fiz
afogo em nó de marinheiro
elaemmim

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

pairo

muito pouco me toca
a alma.
amar é sempre um susto,
esse ir e vir
deve ser passarinho,
no ar
pa(i)ra 
sem saber 
vive do que dexiste. 
um dia aprendo a voar.