quinta-feira, 2 de abril de 2015

a distância

sempre entendi
tua presença
em todos os
cômodos
em todos os
traços
em qualquer
dos espaços

sou preso
nas suas fronteiras

a distância

descansa teu peso
em meus calos
pra sempre,
ou pesa mais um pouco
em cima de mim
de manhã

Nenhum comentário: