sábado, 24 de setembro de 2016

quinta marcha

partiu a borracha ressecada da porta
que batia
atrás de suas costas
quando
você deixou pra mim,
tudo pra trás,
um quadro metal chevrolet
de mais um
arranque.

domingo, 11 de setembro de 2016

quina-eu

eu nunca consegui entender
o escuro;
quando tudo
sempre foi luz
algo em mim fazia ponta
uma quina-eu

escondia lá
uma cidade qualquer
lá,
um sintoma

(fotofobia
de uma existência
sem arestas
aparadas.)

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

feriado

é uma largada com tiro
o abraço de nossas línguas

o tiro que bate no peito
quebra as pernas
exorciza; 

é ninguém estar pronto 
na hora de sair,
acender com vela branca
o pano do molotov

quando a gente se beija
devia ser
feriado.