domingo, 11 de setembro de 2016

quina-eu

eu nunca consegui entender
o escuro;
quando tudo
sempre foi luz
algo em mim fazia ponta
uma quina-eu

escondia lá
uma cidade qualquer
lá,
um sintoma

(fotofobia
de uma existência
sem arestas
aparadas.)

Nenhum comentário: